Seguidores

TRADUTOR

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

CARTA AO MEU IRMÃO LÁ NA ARUANDA


MEU IRMÃO E SUA LINDA FILHA E ESPOSA

Ah”! Meu irmão,
hoje  dói meu coração,
dói de saudades, muitas
dói pela falta de teu conselho sábio,
dói pelo teu sorriso que acalmava minha alma,
dói pelo teu jeito brincalhão,
que para  nos fazer sorrir você brincava,
mesmo que teus olhinhos quisessem chorar.


Fiquei pensando,
aqui na Terra hoje pra mim é um dia triste,
a lembrança de tua ausência é tamanha,
que não cabe no coração nem na alma,
e aí na Verdadeira Pátria,
os irmãos o teu retorno comemoram?


Não sei por que fiquei pensando nisso,
mamãe, papai, a Hilda, vovô, vovó, a nona, o nono,
e tantos outros que têm contigo laços,
vão te visitar hoje, mandam talvez uma mensagem,
ah o Pai João de Angola e seu Capa com certeza por aí passaram.

Eu queria ir te abraçar,
pois sei da sua vitória,
sei que foi recebido pela luz,
sei pelas notícias que está trabalhando,
e também estudando,
fico muito feliz com isso,
por muito te amar e teu bem maior desejar.

Não te dou notícias daqui,
por que sei que bem sabe dos acontecimentos,
claro os de maior importância na vida de teus queridos,
mas mando um abraço muito apertado,
mil beijos com lágrimas que molham a tua face,
dizendo a você:

Obrigada meu irmão por permitir que eu fizesse parte de tua vida,
por ser meu irmão caçulinha e ao mesmo tempo meu apoio,
aquele que repartiu comigo a sua missão espiritual,
apenas para me ajudar a realizar um bocadinho da minha,
obrigada do fundo de minha alma,
um dia receberei e darei este abraço,
quando tiver merecimento,
o tempo não importa, pois aqueles que se amam,
sempre se reencontram.
De tua irmã que tanto te ama.


Marcia Maria Luconi
 11-09-18


sábado, 8 de setembro de 2018

NA AUSÊNCIA SUA PRESENÇA



Um banco abandonado,
não mais usado,
ao tempo deixado,
mas jamais esquecido.


Ao invés de mostrar sua ausência,
pelo contrário lembra a presença,
as horas sem fim que ali ficava,
tendo como companhia suas lembranças.


Ora o olhar tristonho,
as lágrimas brotando calado,
os lábios crispados,
momentos dolorosos lembrados.


Ora o olhar brilhava,
um sorriso nos lábios surgia,
uma lágrima ou outra corria,
momentos alegres revivia.


Relutante do banco saía,
por ele ali viveria,
pois ali com a mente visitava,
a todos que tanto amava.


Visitava épocas já vividas,
quando na vida de todos tinha lugar,
quando para ouvi-lo paravam,
e apoio em seus braços procuravam.


Sabia que o tempo passara,
nada mais a ele restava,
a não ser torcer calado,
por aqueles que tanto amava.


Um dia o banco ficou vazio,
seu ocupante alçara voo,
na ausência tornou-se tão presente,
não passa um único dia,
que para sentir sua presença,
seus amados se esquecem olhando,
a sua ausência naquele banco,
o tempo que não encontraram lamentando.




Luconi
08-09-18



sexta-feira, 17 de agosto de 2018

NOTÍCIAS DA VIAGEM AO NAVIO TUMBEIRO




AMIGOS lembram desta postagem trago notícias






Viajei por altos mares,
do Brasil colonial,
navio tumbeiro visitei,
a maldade do humano desumano conheci,
pelos negros aprisionados,
torturados e mortos,
chorei.


Um choro que de vergonha me cobriu,
vergonha do homem branco poderoso, 
que a ganância se entregou,
tão superior se achando,
que até de Deus duvidou,
então eu clamei,
Sua justiça me mostrou.


A cortina do céu se abriu,
vi os negros mortos,
por luzes em festa serem recebidos,
mas vi o branco morto poderoso,
por garras invisíveis ser puxado,
no abismo mais profundo trancafiado,
até o dia do seu sincero arrependimento.


Então nesta minha viagem,
ainda vi os negros na luz orando,
por aquele branco pedindo,
energias de amor a ele enviando,
que como bálsamo iam agindo,
aquele homem branco sustentando,
por milênio até que ele por Deus clamou.


De minha viagem voltei,
dando ao Criador graças,
porque a todos dá conforme suas obras,
mas sempre ao caído proporcionando,
uma nova chance para a evolução,
tudo no tempo certo,
não há pressa pois imortal é o espírito.


Luconi
03-06-2017

Como prometi há um ano atrás,vim contar a vocês que o livro foi editado pela Madras, participou da última Bienal em SP, para quem quiser viajar como eu viajei quando revisei e descobrir que sempre Deus nos dá uma nova chance, pois sua misericórdia é infinita. É só acessar o link do autor no face, que deixo aqui. O nome do autor é Daniel Luconi meu sobrinho querido. 






segunda-feira, 13 de agosto de 2018

DIA DOS PAIS DIA DO PAPAI DO CÉU


Eu estou aqui pensando,
que todos os papais são parabenizados,
mas tem um em especial o pai de todos,
será que o parabenizam?



Ah! Eu não sei não,
mas quero vê-lo feliz,
de todo meu coração,
pois o pai que na terra me deu,
eu peço a Ele bis.



Sim Papai do céu,
o meu papai é ímpar,
já mora aí com o Senhor,
e a missão direitinho cumpriu.



A seus filhos o alicerce seguro deu,
os caminhos de luz ensinou,
ele a falar não se limitou,
no dia a dia exemplificou.



Como todos nesta terra defeitos tinha,
por isso para cá veio,
ser perfeito não queria,
apenas o melhor para nós pretendia.



E o melhor para ele não era material,
era nos ensinar viver de forma digna,
as Suas Leis de amor seguindo,
para sermos gente nos preparando.



Então Papai do céu,
só quero te agradecer,
por este ser humano lindo,
que nesta vida foi meu papai.



Um dia quem sabe,
eu a graça ganhe,
de reencontrá-lo para o abraçar,
então juntos ajoelhados diremos:
Obrigada nosso Deus, nosso Criador, nosso Papai do
céu!


Feliz dia dos pais, Papai do céu e meu papai Giordano Luconi.

12-08-18


Luconi