Seguidores

TRADUTOR

domingo, 18 de junho de 2017

RENASCER DA DOR


Menina senhora, senhora menina, tão bela,
toda noite ali na janela,
horas a fio,
seu olhar vagueia,
como se ali não estivesse,
talvez apenas vivesse,
numa realidade só sua,
onde ser apenas ela pudesse,
sem máscaras,
sem hipocrisias,
sem mentiras.


Como toda noite, de repente,
um longo suspiro,
um triste sorriso,
dos olhos uma lágrima,
que a mão espalmada enxuga,
como se a realidade voltasse,
da janela se afasta,
as cortinas fecha,
não mais a vejo,
mas o seu sentir sinto,
a dor no leito é sua companhia.


Senhora menina, menina senhora,
sua dor qual seria,
o que foi que te feriu,
de dia ninguém percebia,
senhora de si,bela e guerreira,
mas a noite na escuridão,
esquecia da razão,
a noite dava a dor vazão,
toda noite um pouco morria,
mas de suas próprias cinzas,
com a chegada do novo dia renascia.


Luconi
18-06-17



5 comentários:

  1. Cada poesia, mais beleza ainda! Linda a transformação dessa senhora que de dia era forte,à noite dava ligar à dor ,à saudade e ao amanhecer, renascia... LINDA! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. A mulher busca em seu interior força para sobrepor-se às fraquezas humanas... É a sua fé em dias melhores...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia que reflete o saber ter paciência e aprender que mesmo na dor aprende-se e somos revigorados pelo Criador!

    ResponderExcluir
  4. Olá, querida Luconi!
    Renascer das cinzas faz parte do ritual do viver dos amados de Deus... vejo que é assim...
    Seu poema tem intrínseco toda dor contida neste processo... Lindo!
    Seja abençaoda e feliz!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO

LUCONI