Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

PEQUENO É O CORPO




À noite às vezes,
 sem aparente motivo,
sufocam-me as paredes,
pequeno parece o corpo,
à alma que contem.


Anseio traz para o peito,
energia sem fim,
invadindo o meu ser,
causando enorme saudades,
sem saber do que.  



Para a porta me encaminho,
saio e ando sem parar,
como se algo fosse encontrar,
evitando todo povo,  
sigo rumo ignorado.



Depois de muito andar,
sento-me à beira-mar,
a mente esvaziando,
fundo respirando,
o céu infinito contemplo.



Ali me deixo ficar,
em total comunhão,
aos poucos o peito sossega,
resigna-se ao corpo a alma,
agora saciada.



Luconi
19-10-08

14 comentários:

  1. Os silêncios nocturnos são mais fortes e ajudam-nos numa meditação mais clara.
    A vida acontece pelas coordenadas que lhe damos.

    ResponderExcluir
  2. Que linda poesia e o mar cura e acalma sempre tudo! Ele é lindo ,grande e nos faz refletir e ficarmos revendo nossas vidas!
    Tem um carinho aqui:

    http://chicabrincadepoesia.blogspot.com.br/2014/09/e-hoje-as-flores-vao-para10.html

    beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Olá Lucone! Que poesia fenomenal hein! Há energias nas paredes, luzes vindas no alto, sim sim sim! abraços

    ResponderExcluir
  4. A ansiedade da alma buscando o encontro com o Universo Cósmico. A imensidão do mar e a comunhão com a natureza acalmam e traz a paz.
    Linda poesia!
    Beijos, Élys

    ResponderExcluir
  5. Isso ai amiga Luconi, acho que nesses momentos é o espírito que sente saudade da pátria e isso reflete no corpo.
    Um abraço. Tenhas uma tarde abençoada.

    ResponderExcluir
  6. Essa busca de unificação entre o corpo e a alma deixa-nos hiperansiosos mesmo... Apaziguar tal situação depende de nossa lapidação espiritual!! Lindo poema!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Por favor, me perdoe pela copia e cola.
    Mas hoje é por um motivo especial.
    Levar ao conhecimento de todos aos meus amigos o meu mais recente trabalho.
    Desde já agradeço o seu carinho, sua atenção e sua compressão.

    Vem ai Uma Menina Chamada Esperança!
    Em breve comunicarei o lançamento deste emocionante livro! Que ao voltar no tempo dos nossos antepassados, nos faz renascer para a chama da esperança, - olhar para o futuro e ver nossos sonhos realizados!
    Querida amiga, eu ficaria muito feliz se pudessem me ajudar a divulgar meu mais novo trabalho, o qual foi feito com muito carinho e dedicação para todos os leitores que gostam de viajar entre as palavras de um livro. É um livro juvenil, mas que com certeza vai tocar o coração de todos. Assim é o que eu desejo.
    Penso que estou pedindo um pouquinho demais, mas se for possível me ajudar também curtindo Esta postagem na minha pagina e a pagina deste livro no face eu lhe agradeço de todo o coração.
    Muito obrigada!

    https://www.facebook.com/UmaMeninaChamadaEsperanca?fref=nf



    Logo que tiver uma data precisa do lançamento do livro avisarei a todos.
    Conto com o apoio de cada um de vocês, para a Menina Esperança realizar o seu sonho!
    Desde já agradeço o seu apoio e amizade.
    O meu muito obrigado
    Que abençoe a abençoe hoje e sempre....
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  8. Que lindos versos, Luconi
    O mar acalma o coração e a mente, não?
    Deixo aqui um beijinho carinhoso e o meu carinho
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  9. Luconi, lindo poema!
    A imensidão do mar traz paz. ouvir o mar me acalma ...
    Uma linda sexta- feira
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  10. Ai Luconi,que belo passeio! Linda sua poesia! bjs,

    ResponderExcluir
  11. Oi, bom tudo, Luconi
    Eu vim aqui, nesta noite de sábado, lhe trazer um verso, para você, refletir conosco:
    I
    Lágrimas despejadas, amargas, em desobrigas de ir embora.
    E já não basta terços, rezas e patuás, que outrora consolava
    Em rodas de ritos, a cólera maldita, assobiante com o ebola
    Agride a terna Mãe África, desesperada, pelos filhos, chora.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Despejar a Alma da opressão de todo um dia, é dar-se a possibilidade de lavar, no mar, a paz que se sujou nesse percurso. Logo, a tranquilidade retorna ás quatro paredes e não mais avassalam o que o peito sente.
    Lindo


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  13. Luconi: amei ler o teu poema muito belo adorei. Há peço desculpa por andar fugido mas é por motivos de Saude ou seja tenho andado com perdas de memória
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  14. Olá, querida amiga Luconi
    Um poema encantador... como percebo a sua alma poética feliz ao poetar tão lindamente!!!
    Paz infinda só do Alto nos vem...
    Muito obrigada por ter aceito o meu convite para ser Jardineira das Causas Justas... Deus lhe abençoe!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO

LUCONI